TODOS QUE AMAM

16 de fevereiro de 2014

DEVO TOMAR LEITE DE SOJA

FAÇO LEITURA DO TAROT E NUMEROLOGIA 015 9 81 09 65 94 E 015 996 46 63 25







Uma coisa que concordamos cem por cento com o pessoal vegan é que o leite industrializado é de péssima qualidade, além de ser subproduto da matança de animais.
Um vaqueiro de uma fazenda próxima à nossa, em Paraty, falou da seguinte maneira a um devoto que comentou que os animais estavam muito bonitos: “Tenho pena de quem vai comer a carne desses animais, pois três vezes por semana injetamos neles uma quantidade de veneno para vermes e carrapatos porque assim o couro fica lisinho e vale mais”.
Além desse aspecto mais físico, existe as implicações mais sutis. O leite industrializado é subproduto da matança de animais. Isso porque o valor que as cooperativas de leite pagam ao produtor é muito baixo, de modo que o preço final ao consumidor seja compatível ao bolso das classes menos favorecidas. Ninguém sobrevive comercialmente apenas com o leite. O lucro, então, vem de onde? Dos bezerros machos que são mandados para a engorda e, posteriormente, para o matadouro. Isso implica em que o leite industrializado carrega esse karma embutido nele.
Aliás, muitos alimentos hoje em dia são contaminados. O açúcar refinado é branqueado com produtos feitos de ossos de animais. Outro perigo vital é a gordura hidrogenada que é a responsável por inúmeros enfartes. A legislação contém normas para regular as cotas de venenos que são utilizados na agricultura, mas quem garante que isso é respeitado e qual órgão do governo pode controlar isso?
Pessoalmente conheci um produtor de tomate que disse que sua produção era pulverizada com venenos pelo menos sessenta vezes. O medo que ele tinha de perder a produção por causa de alguma praga era tanto que dava sua última pulverizada minutos antes da colheita. Poucas horas depois, seus tomates, muito grandes e bonitos, estavam nas prateleiras dos supermercados e hortifrútis. A salada feita com aqueles tomates foi temperada com azeite de oliva, agrotóxicos e fungicidas. A coisa ainda vai longe…
Muitos vegetais, principalmente em países do “primeiro mundo”, já têm incorporado em si genes animais para aumentarem de tamanho e terem aparência mais “saudável”. Outras experiências em progresso são ainda mais sinistras: células cancerígenas humanas, que têm a propriedade de se proliferarem de forma assustadora, são incorporadas nos vegetais para estes aumentarem o tamanho! Nessas alturas, as calorosas discussões sobre os transgênicos e seus efeitos futuros já estão caducando. Já são coisas do passado… Não temos aqui o intuito de ser alarmista, mas precisamos estar bem conscientes para não comprometermos nossos princípios e manter certo padrão de pureza, essencial para a manutenção da saúde.
Muitos devotos argumentam em favor de um relaxamento na questão da alimentação com base no que foi dito por Srila Prabhupada em diferentes ocasiões. Temos, contudo, que entender que essas afirmações foram feitas há mais de trinta anos, época em que a indústria alimentícia e os hábitos alimentares eram bem diferentes dos de agora. Também, muita coisa a que Srila Prabhupada se referiu teve como base o que se passava na Índia, e não a realidade do Ocidente. Devemos, portanto, considerar esse assunto baseado em nossa experiência presente e com o uso de toda a nossa capacidade de bom senso.
Srila Prabhupada anteviu a degradação da qualidade de vida nos grandes centros urbanos e propôs o estabelecimento de comunidades rurais. Sua ideia foi que as fazendas dos devotos produzissem alimentos puros para a comunidade urbana de devotos. É imperioso que os devotos se conscientizem desse fato e apoiem com energia as iniciativas nessa direção que vêm sendo feitas no Movimento Hare Krishna. Devotos que têm formação profissional ou vocação nata para a agricultura devem canalizar seus talentos para enriquecer a missão de Srila Prabhupada com essa contribuição.
-14 SI (artigo - Alimentação) Além do Vegetarianismo (4000) (pm) (pn)13
Devotos de Krishna trabalhando nas atividades rurais da comunidade Goura Vrindavana, em Paraty.
Por não estar na linha de frente da pregação, as atividades rurais do Movimento Hare Krishna são consideradas por muitos devotos como algo de segunda ou terceira classe. Mas que guerra pode ser ganha sem boa logística? Não podemos cair na antilógica da galinha dos ovos de ouro, que concentra o interesse no buraco onde sai os ovos e negligencia a parte de cima que tem que ser alimentada.
.
Conheça a ecovila coordenada por Purushatraya Swami, em Paraty: www.goura.com.br.
.











MAIS POSTAGENS

PODERÁ GOSTAR TAMBÉM